carlito carvalhosa
precaução de contato, 2014
instalação site specific
vista da exposição galeria nara roesler
+

Carlito Carvalhosa (n. 1961, São Paulo, Brazil) vive e trabalha no Rio de Janeiro. Estudou Arquitetura e Urbanismo na Universidade de São Paulo (FAU/USP) de 1980 a 1984. Reconhecido em todo o Brasil, Carvalhosa despontou na cena artística nacional na década de 1980, como membro do coletivo paulista Grupo Casa 7, ao lado de Rodrigo Andrade, Fabio Miguez, Nuno Ramos e Paulo Monteiro. Durante esse período, produziu pinturas de grandes dimensões com ênfase no gesto pictórico. Em 1989, recebeu uma bolsa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) e residiu em Colônia, Alemanha, até 1992. Carlito Carvalhosa utiliza meios variados e objetos encontrados – incluindo lâmpadas, tecidos, cera e espelhos — para investigar o espaço arquitetônico e a natureza dos materiais. Iniciou sua carreira produzindo pinturas abstratas que aliavam gestos pictóricos a uma ênfase na materialidade, e seguiu explorando seu fascínio pelos materiais em obras esculturais, aplicando o método egípcio da cera perdida e trabalhando com porcelana. De acordo com a curadora portuguesa Marta Master, o que interessa ao artista é “a relação entre o espaço e o ato de construir. Mobilizada pelo artista, a construção é um processo para reordenar o mundo à sua frente, suportar seu caos e, assim, diferenciar a atividade perante a natureza”. Master destaca ainda que a obra de Carvalhosa é “perpassada pelo pensamento da escultura enquanto construção, adicionando o gesto e retirando o vazio”. Entre seus trabalhos mais recentes estão intervenções arquitetônicas e instalações interativas. Sua obra mais conhecida, Sum of Days (2011), foi uma monumental instalação site-specific para o átrio do MoMA. Com material translúcido branco pendurado no teto e um sistema de microfones que gravava e reproduzia o ruído ambiente acumulado a cada dia, proporcionou aos espectadores uma experiência de total imersão espacial e sonora. Seus trabalhos atuais são instalações site-specific que definem os limites da arquitetura do entorno, suspendendo as referências espaciais e possibilitando uma imersão completa pela utilização de elementos como tecido, espelhos e luzes. Em 2013, Carvalhosa apresentou a instalação Sala de espera no MAC-USP: vinte e quatro postes de madeira suspensos no espaço expositivo, em conjunção com a arquitetura. Participou da 18ª Bienal de São Paulo, Brasil (1985); Bienal de Havana, Cuba (1986 e 2012); e Bienal do Mercosul em Porto Alegre, Brasil (2001 e 2009). Algumas de suas individuais foram: Precaução de Contato (Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil, 2014); Sala de espera (Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2013); e Sum of Days (MoMA, Nova York, EUA, 2011). 

Exposições

+